google analytics

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Drive Me Crazy Baby...

Olá meninos e meninas sapekas !
Tudo bem com vocês ?
Eu estou bem obrigada, “se ainda não esta bom é porque ainda não acabou” gosto desta frase, é bem otimista mas para mim tem um significado especial, pois varias vezes acabou tudo bem no final, acho que eu nasci com a bundinha virada pra lua (isso talvez explique o fato dela ser redondinha e branca...). As vezes me meto em cada roubada, mas graças a deus tem alguns anjos que me ajudam a sair dessas algumas vezes temos que recompensar esses anjos, é sobre um deles e sua recompensa que sera o nosso post de hoje.

“Os dias passavam sem nada de emocionante acontecer, estava em casa estudando e lendo, estava passando os dias em casa, sem muito trabalho, foram uma semanas que eu fiquei quieta em casa, vivendo um pouco da minha vidinha normal, mas logo as oportunidade batem a porta, na verdade no meu caso liga no meu celular, era um velho amigo meu de floripa me perguntando sobre algumas comunidades e tal, disse que tinha que fazer uma reportagem e precisava ir em lugares carentes e tal e pediu que eu indicasse alguns, no meio da conversa então ele pediu que viesse junto com a equipe, como guia, eu não estava fazendo nada e fazia tempos que não o via então topei,ele disse que o carro da emissora ia passar em casa depois do almoço.

Tomei meu banho e me arrumei, sem muito capricho afinal íamos para as comunidades, não poderia ficar me exibindo de patty, já ia com o carro de uma emissora de TV , com o meu cabelo vermelho já ia chamar muita atenção por um dia. Tão logo eu terminei de almoçar o carro já estava na portaria do meu prédio e lá fomos nós, no carro estavam meu amigo, um maluco com dreads e cavanhaque, mais duas meninas, uma com dreads também e uma que parecia que havia caído de paraquedas naquele carro e o motorista, um negão de uns 1,80, todo musculoso, se ele não estivesse dirigindo ia achar que ele era o segurança, e eu fui na frente para guia-lo. Nossa como eu dei risada aquele dia com aqueles malucos nos carro, eu e as meninas falando mal dos homens, meu amigo tentando se gabar que já havia me comido para ver se comia uma das meninas e o motorista só de olho nas minhas pernas, sempre dava um jeito de encostar nela quando passava a marcha passeamos por toda a zona leste, fomos até osasco, eles fizeram a reportagem, eu até ajudei e na volta paramos para tomar um lanche e conversarmos mais, Junior, o motorista, ficou falando sobre carro e sobre dirigir que é algo que eu adoro.

O tempo passou e mais uma vez em uma tarde chuvosa meu amigo me liga, dizendo que haviam ganhado um premio pela reportagem queria que eu fosse na festa , eu em uma festa openbar cheia de gente importante e bonita ? Eu aceitei sem pestanejar claro, corri como uma louca para me tomar banho e me arrumar, nossa que luta foi para arrumar um vestido de festa assim de repente, nem tinha terminado de me arrumar e o interfone toca e era o Junior vindo me buscar, coloquei os sapato corrento, quase tropeçando, mas por fim cheguei até o carro. La estava ele, me esperando, ereto, com pose de motorista, com belos trajes, mas desta vez com um Ford Fusion, o jornal que estava organizando o evento sabia mesmo como impressionar seus convidados (e ainda nem tinham oferecido ferreiro rocher), Junior ao me ver abriu a porta para mim e me chamou de madame, eu ri, nem parecia aquele mesmo cara de antes, o que roupas e perfumes não fazem pelas pessoas né ? Adoro encarnar personagens, então comecei a brincar de madame e seu motorista, a cada graça que ele falava para mim, eu retrucava, com a voz bem sexy e arrumava o vestido, nunca tinha visto um motorista arrumar tanto o retrovisor central, ele tava louco para ver o que eu tinha no meio das pernas, e eu safada do jeito que sou, dando corda para o coitado, aposto que ele ficou de pau duro no caminho(ta, eu sei, que eu sou folgada, mas que culpa eu tenho se adoro ver um homem louco de tesão por mim ?). Cheguei no hotel já na pegada, Junior disse que ficaria no bar do hall tomando uma cerveja, que a festa na cobertura é só para os VIP´s mas que quando eu quisesse ir embora era só procura-lo, ele estava a minha disposição. Eu subi o elevador me sentindo a garota mais gostosa do mundo, a festa estava bombando, foi realmente uma festa fantástica, pelo menos até onde eu me lembro dela, me lembro de ter dançado, de ter flertado, me lembro de tudo até flertar com bonitinho do clube do whisky, ah esses empresários ricos e bonitos que me fazem perder a dignidade, quis impressionar o rapaz e bebi até apagar.
Acordei no dia seguinte, assim que recobrei a consciência olhei para os lados, eu estava em casa, mas queria saber se estava na minha casa, e para minha sorte, estava em casa, sem ninguém do meu lado, isso era um alivio, mas minha preocupação voltou quando reparei que eu estava de calcinha, de blusa, reparei que meu cabelo estava cheiroso e isso significava que eu tinha tomado banho, mas como ? Como cheguei em casa, tomei banho e me troquei sem ao menos lembrar de nada. Foi quando me lembrei do Junior, ele deve ter me trazido para casa, mas o que mais sera que aconteceu ? Comecei a ficar apreensiva, liguei para o meu amigo e pedi o telefone do Junior, e liguei para ele, por sorte ele ainda estava na cidade, chamei ele para tomar um café, que queria falar com ele, passada toda a situação o dor de cabeça chegou e com ela a ressaca, então voltei para a cama para tentar dormir mais. Acordei meio mal ainda mas fui me encontrar com o Junior, ele já estava la quando eu cheguei, então sentei e começamos a conversar e ele foi me contando o que aconteceu, ele disse que estava no balcão do bar quando um cara perguntando se ele que estava me acompanhando ele disse que era o motorista e tal então o cara disse que era melhor ele me levar em bora.
Junior foi narrando como me levou para casa, como eu estava mal, como deu banho e tudo em mim, descreveu com detalhes como eu era peladinha, eu vi os olhos de tesão dele narrando e imaginei como deve ter sido difícil para ele não ter feito nada, aquele cara podia ter abusado de mim a noite toda eu estava completamente entregue, eu sei como é quando fico bêbada, nossa ele cara deve ter ido para casa com o saco doendo e pior que eu tenho a mente fértil, ele foi contando e eu fui imaginando tudo e claro com aquela pitada apimentada, já fiquei regulando para ele e imaginando ele pelado e agente o melhor sexo bêbado de todos, mas eu não podia desperdiçar aquele negão de 1,80m né ?! Com a vontade subindo eu ia fazer a minha vontade, afinal ele foi uma anjo, me salvou de uma vergonha eterna e nem abusou de mim, ele foi um doce, merecia sua recompensa.

Chegando em casa, perguntei se ele não queria subir, obvio que ele aceitou, entramos no elevador, quando a porta do elevador fechou , olhamos um para o outro, e sem dizer nada começamos a nos beijar intensamente, eu sempre tive o desejo de fazer sexo no elevador, estava louca de vontade de apertar o botão de emergia e fazer sexo ali mesmo, com direito a porteiro vouyer mas admito que me faltou coragem, mas nem por isso diminui o fogo, a porta do elevador e agente saiu aos trancos e barrancos, tentando andar sem parar de se pegar, até que chegamos em minha porta, ele então me prensou contra ela, e começou a beijar meus pescoço, e foi descendo pelo meu colo e eu morrendo de tesão, apertando e girando a maçaneta, ele começou a descer mais pelo decote procurando pelos meus peitos, eu queria puxar os cabelo dele e faze-lo parar mas ele era careca, procurou até encontrar,e começou a chupa-los ali mesmo no corredor do meu prédio, na porta de casa, e o medo de sermos pegos foi dando a pitada final no tempero, achei que ia ser chupada e comida ali mesmo, e eu tentando abrir a porta para entrar, então ele me virou com tudo e me xinxou contra a porta, me prensou com o pau já duro, latente na calça, me fazendo sentir o volume contra a minha bundinha, e foi passando a mão pelas minhas coxas, pelas minha barriguinha, apalpou meus seios e começou a acariciar minha bucetinha e sussurrou “abre essa porta que eu to louquinho para te ter” eu quase tive um orgasmo ali mesmo, minhas mão tremia toda e eu não conseguia encaixar a chave, e ele não parava, colocou minha calcinha de lado e começou a abrir os meus lábios com o dedo, eu tava com vontade de gritar, mas finalmente consegui abrir a porta e entramos com tudo, nem trancamos a porta e fomos direto parca o sofá.

Ele me jogou de qualquer jeito no sofá(adoro fazer sexo neste sofá, ele é de couro preto e é muito confortável) e arrancou minha calça e minha calcinha numa leva só, ele era tão forte que eu acho que ele podia me levantar em um braço só, ele era todo trincado, um negão quase azul, careca e cara de safada, poderia ser segurança de balada ou de bordel, ele era enorme perto de mim e a pele negra dele fazendo contraste com a minha pele branquinha me deixava ainda mais no clima, eu parecia um brinquedinho que ele posicionava do jeito que ele queria, ele abriu minha pernas e colocou elas para cima e começou a me chupar, ele devia mesmo ter sonhado com aquilo, tava todo afoito tadinho, parecia uma centrifuga desgovernada, mas depois a euforia foi passando e ele foi se ajeito ai começou a ficar bom o sexo oral e minha bucetinha já começava a se contrair e mu cuzinho piscar clamando pela aquela tora preta. Nem preciso dizer que ele tinha um pau grande né ? E estava lá durinho por mim (podem me chamar de egocêntrica, mas não há nada mais excitante do que um cara de pau duro por você) e eu não podia desaponta-lo, logo o meu salvador, então me ajeitei do sofá e pedi por um 69 e ele veio todo por cima de mim, meu jesus ! Eles eram enormes e estavam em cima de mim, fiquei lambendo a cabecinha bem de leve, erguendo meu pescoço atras do meu pau, quando ele sentiu que eu já estava com ele na boca ele baixou os quadris e começou a movimenta-los, como se estivesse me comendo, aquela pua todo na minha boca e eu quase engasgando com ele descendo guela abaixo, ele tava literalmente “comendo” a minha boca, era uma visão maravilhosa a pélvis ele chegando bem perto e minha boca se abrindo para recebe-lo.

O resto foi como o tradicional que vocês já conhecem, mas queria compartilhar esse 69 sensacional com vocês, e o bixo tinha folego viu!? fizemos sexo ainda umas duas vezes, mas daí fomos pra cama, com mais calma. Acho que diva isso a ele por ele ter sido legal, claro que não agradeço todo mundo assim, mas o fato de ele ser um negão sarado, pauzudo contou pra caramba, rs.”

3 comentários:

LEO disse...

Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade.
Carlos Drummond de Andrade
Bjssss
Feliz Natal Procê
Leo.SeximaginariuM

LEO disse...

Obrigado por ter dividido comigo os bons momentos de 2010 e...

“Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos...
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo...”
(Caetano Veloso)
Que,
2011 Seja um novo e bom tempo!
Leo.SeximaginariuM

piskunov42 disse...

oi Alicia... sobre o livro, achar ele novo na internet, talvez nao seja tao facil assim... mas ainda tem uma alternativa. eu ja encontrei livro novo, mas esgotado em muitas livrarias, em lojas fisicas, que nao tinham lojas virtuais... é um pouco mais trabalhoso, mas sabendo a informacao certa, isso fica mais facil... um caminho seria conversar com a editora, verificar se eles tem algum cadastro das distribuidoras que possuem os livros da Madras pelo Brasil, ou em SP, e ligar pra essas distribuidoras pra eles te informarem alguma loja que ainda possa ter o livro encalhado nos estoques... talvez, ate em alguma distribuidora voce encontre o livro... é isso, bjao...