google analytics

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Santo Remedio

Ola leitoras !
Sabe uma discussão que sempre rola nas rodinhas de meninas pelo menos uma vez na vida e que eu sei que habita a mente de muito namorados ciumentos. ginecologista homem ou mulher ? Acho que no meu caso não importa muito né ? Homem ou mulher eu causaria ciumes do mesmo jeito. Mas todo homem tem ciumes de ginecologista, talvez porque não sabem o quanto desconfortante uma ida ao gino, a ultima coisa que pensamos é em sexo, na verdade depois dos exames quase você chega a odiar fazer sexo, mas teve uma vez que eu tive essa loucura...
Vocês lembram da época da faculdade em que eu morava com as meninas em um “apertamento”, fiz grandes amigas lá mas com o tempo agente vai se distanciando, exceto a ana. A aninha como gosto de chama-la virou minha medica particular e amiga confidente, sempre que podia eu ligava para ela e ficávamos horas no telefone, isso quando ela não ia em casa, ver filme, comer pipoca, era como se eu voltasse a infância,quando sua melhor amiga vem dormir na sua casa, aninha era uma uma menina em corpo de mulher, menina meiga , romântica, sempre sorridente, tudo que eu dizia era motivo de boas gargalhadas para ela , mas acho que muitas vezes era a maneira dela não mostrar que estava excitada com o que eu contava para ela, ela me chamava de louca, mas eu sei que no fundo ela estava molhadinha cheia de vontade de fazer igual, ela era muito tímida em todas as fotos ela sempre saia escondida atrás de alguem só aparecia o seu rostinho, mas sempre sorrindo. Mas também era uma mulher, bonita bem decidida, tinha muito respeito por ela como profissional também, ela tinha o cabelo castanho claro, bem claros, olhos castanhos, bem vividos, elas vivia com um brilho encantador no seu olhar, era baixinha mas com algumas curvas, tinha coxas grossa, e como vivia de branco, acentuava mais a suas coxas e bunda.
Um belo dia estávamos saindo de um barzinho, tínhamos idos tomar umas cervejas e jogar conversa foras, desetressar um pouco, como ela é a minha medica disse para ela me recomendar um ginecologista novo, mas alguem de confiança porque a minha bucetinha é bastante judiada então precisava de alguem para quem eu pudesse me abrir(rs), ela então disse que no dia seguinte me indicava um grande amigo, dito e feito, então marquei a minha consulta, mas ela esqueceu de me avisar que era no olimpo, porque aquele medico só podia ser um deus grego, branquinho como se no olimpo não tivesse sol, cabelos bem negros e lisos, olhos meio esverdeados meu mel, sinceramente não quis ficar olhando muito, ou eu ia perder a compostura.
Coloquei então aquele avental e enquanto ele se preparava, colocando as luvas, reparei que ele tinha mãos fortes, adoro homens assim, ele parecia daqueles médicos que levam a saúde muito a sério, ele era musculoso, fiquei imaginando ele correndo no parque , com aqueles shortinhos e aquelas pernas de fora, ai meu deus ! ele então se aproximou e me deixou entre seus braços para poder ajeitar melhor o laço do avental, quando ele chegou perto pude sentir o seu perfume, era másculo, perfume que eu jamais consegui achar igual, devia ser importado ou algo assim, então ele me disse “preparada?” quase que respondi “já cheguei molhadinha doutor” (rs), então me sentou na cadeira e abriu as minhas pernas, ele com certeza reparou que eu estava excitada, minha bucetinha devia estar encharcada, abertinha e meu cuzinho piscando sedento por rola, pois olhou pra mim e deu um sorriso daqueles bem sacanas, então como é de praxe ele avisou que eu ia sentir um geladinho, mas o que eu queria mesmo era sentir um quente, mas ele estava brincando comigo, aos separar os lábios eles passou “sem querer – querendo” o dedo pelo meu grelinho e meus lábios, e introduziu o “bico de pato” bem devagar, como se fosse a rola dele entrando, quando ele tirou ao invés dele tirara as luvas ele continuou com as luvas, continuou sentado, dizendo que a aninha tinha me contado sobre mim, sobre as minhas peripécias, ah mas eu queria matar aquela safada naquela hora, ela fez de proposito, e deixou o medico morrendo de vontade de me comer contando as minhas historias, eu então sorri e deixei a brincadeira rolar disse que era sempre um prazer conhecer alguem que gostasse das minhas historias, então ele entendeu o recado e passou a passar os dedos na minha bucetinhas, disse que queria tirara minha temperatura, então senti um termômetro gelado no meu cuzinho, ele foi enfiando os dedos dele , ele enfiava bem fundo, e mexia bastante, queria mesmo me ver gozar, e não foi muito difícil, logo eu estava tomada pelo prazer, ele então tirou uma bacia de metal e disse que queria me ver mijar, eu simplesmente aliviei o meu corpo, deixei que o orgasmo relaxasse todos os meus músculos, até que comecei a fazer xixi, mal terminei e ele já estava com a boca lá, caindo na tentação, ele era uma pessoa saudável, sua língua era agitadíssima, ora me lambia do começo ao fim, como um cachorro faminto, ora ele estava me penetrando com a língua, ora chupava e mordiscava o meu grelinho, me sentia sugada, mas quando ele começou a lamber o meu cuzinho foi o auge, passei a mão em seus cabelos e puxei, estava gozando e ele fez questão de tomar até a ultima gota do meu melzinho, mas eu estava em divida com ele e com a aninha, com ele foi fácil resolver, me levantei da cadeira peguei ele pela mão, fiz ele sentar naquela cadeira dele, aquelas cadeira grandes sabe ?, peguei uma daquelas luvas e coloquei, então coloquei seu jaleco branco de lado, abri o cinto e arreei as suas calças, então pude ver aquela pau formidável, mas ele não estava no ponto, meio mole meio duro, o que é muito bonito de se ver também, então comecei a punheta-lo, com aquelas luvas cirúrgicas que pareciam ser um fetiche para ele, então tão rápido já estava duro eu comecei a lambe-lo, lambia suas bolas, olhando para ele, fui lambendo o pau dele subindo devagar até chegar na cabeça, e desci chupando aquele pau todo, eu forcei a pele bem para baixo, deixando toda cabeço exposta, eu chupava e olha pra ele, com cara de “estou fazendo certo, doutor ?” até que que ele gozou enquanto eu lambia a suas bolas, então tive compensar subindo, lambendo seu pau enquanto a porra escorria...
foi uma experiencia incrível, mas eu ainda tinha que me “vingar” da aninha, e o medico me ajudou, mas essa vou ter que deixar para a próxima

4 comentários:

viin disse...

deveria ser Olá Leitoras e Leitores... me senti uma mocinha... bauhsbuabsuhbauhsbuhabsabshub

Anônimo disse...

MEu, vc é uma doidinha rsrs
Tava lendo seus contos aki no trabalho, tive que sair correndo pro banheiro e dar uma aliviada na situaçao. Fiquei louca me imaginando nessas situações. Pq sou tao timida, e na hora do sexo pior ainda.... Parabens seus contos sao otimos.

XX Ci

alicia disse...

ah eu não sou doidinha não amiga, sou muito ajuizada...

hahahaha conheci umas leitoras que liam no trabalho... e ainda sim se tocar, isso sim é doidera (apesar que ja fiz isso tbm outro dia eu conto...

não precisa ficar com vergonha não meu anjo, me deixa curiosa tbm

Anônimo disse...

adoroo suas historias *-*